Jean-Luc Godard - Dans le noir du temps (sub eng)

Analizar "dans le noir du temps" implica em profundizar em uma série de citaçoes literárias e cinematográficas, das quais muitas delas ainda nao tive oportunidade de me deparar. Implica em comentar essas citaçoes e compara-las com a utilizaçao de Godard neste filme, afim de chegar na nova dimensao que o cieneasta deu à essas imagens pre existentes. Mas nao será por esse caminho que vou seguir neste cometário. Decidi escrever sobre esse curtametragem, simplesmente pelo gosto que tenho em comentar as grandes obras do cinema. Este é um texto menos analitico, e mais enaltecedor.

Em 1991 Jean Luc Godard realizou o maior curtametragem da história. Me identifico com essa afirmaçao pretenciosa, porque o cinema como quase tudo nesta vida, é feito de fragmentos bons e ruins, uns sao as referencias maximas da beleza, e outros do que nao vale a pena. Desta forma, nao tenho problemas em separar as qualidades de cada material, e classifica-los em grandes ou pequenos. Obviamente nao vi todos os curtametragens da história, mas ao visionar "dans le noir du temps" é fácil supor que ninguem chegou aonde ele chegou. Através de sequencias de ligeira repetiçao, Godard nos vai guiando pelos "ultimos minutos da juventude", "da valentia", "do pensamento", "do impresindivel", "do amor", "do silencio", "da memoria", "da historia", "do medo", "do eterno" e "do cinema", até chegar no ultimo capitulo, a "ultima visao". Com o aresenal de imagens que compoe cada capitulo o espectador vai se deparando com um choque de imagens metaforicas, afim de direcionar nosso olhar até a nostalgia pelo infinito, para "aniquilar a aparencia de terminado; em tal efeito temos que colocar todo o saber em estado revolucionario". Ao invocar os ultimos minutos da essencia do homem, Godard busca chegar na esscencia do mesmo.

"dans le noir du temps" é o maior da história, nao só porque ele fala da própria história humana pelas imagens do cinema, mas também porque é através desta forma pura de montagem (de puro cinema), que o curtametragem expressa toda desgraça da tragédia humana, chegando ao mesmo tempo na essencia do homem e na essencia do cinema. A uniao perfeita da expressao artisca refletindo o homem, e o meio que utiliza para essa reflexao.

No hay comentarios: